Dezembro 2017
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb
1
2
3
Data : 03/12/2017
4
5
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
Data : 27/12/2017
28
29
30
31
 

 

Homenagem proferida pelo Comp Ademar Antunes na ocasião da missa de 7º dia do comp Alvaro Raghianti.

Senhoras e Senhores,

Nesta oportunidade em todos nos reunimos para orar pelo insigne e probo cidadão que foi Álvaro Bacelo Ragghianti, quero agradecer o privilégio e a confiança em mim depositada pelos seus familiares e companheiros do Rotary Club de Campinas Norte, entidade onde militou com raro brilhantismo por quase cinqüenta e quatro anos.

Em realidade, o Companheiro Álvaro Ragghianti, como era tratado em nosso Clube, se constituiu numa rara unanimidade junto à sociedade e àqueles com os quais conviveu em sua existência, reconhecido como pessoa da mais absoluta idoneidade moral, exemplar cidadão e patriarca de família, líder empresarial e filantropo de renome, católico praticante e provedor de obras assistenciais ligadas à Igreja, que o tornaram merecedor do reconhecimento da sociedade de Campinas.

Álvaro nasceu e viveu em nossa cidade, tendo ascendentes espanhóis e italianos, mas cedo compreendeu que o Brasil é um país multicultural – a Rodovia que liga o porto de Santos a São Paulo é a Imigrantes – e sempre se orgulhou de ser brasileiro e aqui residir. Fez questão de prestar o serviço militar, quando jovem, e sempre manteve em sua sala de trabalho a gloriosa Bandeira do Brasil, símbolo da pátria reverenciado pelos cidadãos que o engrandecem com o seu trabalho. Participou de inúmeras diretorias de instituições filantrópicas, voltadas ao atendimento de pessoas com necessidade especiais, bem como da Associação Comercial e Industrial de Campinas e se destacou como um dos grandes líderes do Rotary no Brasil, do qual declinou até mesmo do convite para ser Diretor nos Estados Unidos, não sendo demais destacar que se trata da maior ONG mundial, com 1.200.000 associados em centenas de países, única com assento permanente na Organização das Nações Unidas e atualmente empenhada na campanha pela erradicação da poliomielite, junto com OMS, com contribuição de US$ 500.000.000,00 até esta data para compra e aplicação de vacinas.

Tendo ingressado no Clube em 30 de março de 1962, nele atuou com galhardia e entusiasmo por toda a vida e sempre teve orgulho em externar sua condição de rotariano em todas as oportunidades e ambientes nos quais conviveu. Foi Presidente do Clube em duas oportunidades, nos anos 1964/1965 e 1984/1985, nos quais prestou relevantes serviços à comunidade.

Seu nome está ligado a inúmeras realizações do Rotary Club de Campinas Norte das quais participou e liderou, notadamente na Campanha pela instalação da Faculdade de Medicina, que depois se transformou na UNICAMP e indicação do Prof. Zeferino Vaz para Reitor, devendo ser destacadas, ainda,

A criação da Fundação Odyla e Lafaiete Álvaro de Souza Camargo e da Fundação das Entidades Assistenciais de Campinas, cujos modelos estatutários foram trazidos dos Estados Unidos através do Rotary e hoje auxilia centenas de entidades através dos recursos obtidos com o Shopping Iguatemy e demais empresas situadas na Vila Brandina;

A campanha pela construção das novas instalações da Maternidade de Campinas e os entendimentos com o então Prefeito Ruy Novaes, para que a entidade administrasse a antiga Rodoviária e com os recursos obtidos atendesse à parturiente pobre;

A Campanha pela construção da Casa da Criança Paralítica, entidade dedicada a promover a capacitação dos menores com deficiência locomotora,

A criação do Centro Cultural Brasil Estados Unidos e muitas outras realizações e apoio a instituições, como apoio à Casa de Apoio à Vida e a Casa de Repouso Bom Pastor, ao Grupo Primavera, às obras sociais da Paróquia de São Pedro Apóstolo.

No tradicional programa Jornada Cultural e Educacional ao Zoológico de São Paulo, através do qual o Rotary leva anualmente em torno de 1.000 crianças carentes com idade de 8 a 12 anos, escolhidas em escolas municipais e estaduais da periferia de Campinas ao Zoológico de São Paulo, o Companheiro Álvaro sempre teve atuação decisiva, tanto que a preparação dos lanches servidos às crianças começou a ser realizada em sua residência, localizada à Rua General Osório 2.229, oportunidade em que seu filho Alvarito ainda era uma criança.

Álvaro Bacelo Ragghianti foi Governador do Distrito 4590 em 1969/1970, com a incumbência de coordenar as atividades de dezenas de Clubes Rotários, e exerceu referidas funções com magistral dedicação, percorrendo mais de 100.000 quilômetros nesse ano por cidades muitas vezes servidas por estradas precárias. Esse Distrito se iniciava em Jundiaí e compreendia grande numero de cidades do Estado de São Paulo, até Mococa, numa direção, cidades do Vale do Paraíba como Jacareí e São José dos Campos, alcançando o litoral Norte com Caraguatatuba e Ubatuba em outra e adentrando o Sul de Minas Gerais, em cidades distantes como Machado, Formiga, Cambuquira, Camanducaia e Lambari.

A semeadura de novos Clubes Rotários e conseqüente abertura de novas associações prestadoras de serviços às respectivas comunidades teve tal amplitude que foi merecedor de especial reconhecimento através de diploma e comenda que lhe foi outorgada pela UNESCO, que é a organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, colocada em local de destaque em sua sala de trabalho.

Dentre outras honrarias, também é detentor das comendas Paul Harris com cinco safiras, do Rotary Internacional e da Grã Cruz da Ordem de Sisneros, que lhe foi outorgada pelo Governo da Espanha, em retribuição aos relevantes serviços prestados à comunidade espanhola no Brasil.

Na vida profissional, embora formado pela primeira turma da Faculdade de Direito da PUC, jamais foi advogado, preferindo atuar na área empresarial de arrendamento de imóveis, atividade na qual desenvolveu grandes empreendimentos, mercê de suas qualidades pessoais, conhecimento do ramo, visão empresarial, clareza ao decidir e fazendo bom uso das oportunidades de negócios que lhe foram propostas e aceitas com equidade, e honestidade e equilíbrio.

Álvaro Bacelo Ragghianti foi católico fervoroso e praticante nesta Paróquia de Santa Rita de Cássia, e sempre apoiou suas obras assistências com generosidade e persistência. Sua atuação religiosa mereceu especial deferência de Sua Santidade o Papa Paulo VI, que o recebeu em audiência privada, privilégio somente concedido aos católicos que realmente se destacam na atuação das obras apostólicas e sociais da Igreja.

Deixa viúva sua esposa, Sra. Alda Amaral Moraes Bacelo Ragghianti, que infelizmente não se faz presente, em virtude de problemas de saúde, o que também ocorre com seu filho Alvarito, mas sua família exemplar está representada pela esposa Claudia e os netos Camila e Álvaro Neto, os quais agradecem de coração pelo conforto recebido dos presentes a esta Missa, mas também a todas as pessoas, de todas as idades e em todas as épocas, com as quais o falecido conviveu e que lhe proporcionaram uma existência feliz, exitosa e plena de realizações.

A união e o caráter dos seus familiares lhe proporcionaram apoio material e espiritual para que conseguisse enfrentar com galhardia, perseverança e qualidade de vida os mais de 4.200 dias decorridos desde que teve diagnosticada a moléstia que o acometeu e enfim o levou ao óbito.

Portanto, seja pelas suas raras virtudes como pessoa, seja pela ampla gama de benefícios que sempre proporcionou à sociedade, ao país e à sua família, seja ainda pela sua exemplar conduta como rotariano e cidadão, o Companheiro Álvaro Bacelo Ragghianti é motivo de orgulho para todos que o conheceram.

O exemplo deste autêntico patriarca que agora nos deixou deve servir de inspiração para manutenção e ampliação da sua obra e do seu trabalho através das futuras gerações.

Creiam-se, Senhoras e Senhores, se a cada um é dado fazer a sua parte, durante a existência terrena, para com a família, a sociedade, a pátria e a religião, Álvaro Bacelo Ragghianti não somente a realizou, como em muito a excedeu.

Muito Obrigado.