Kirsten Rafinski - Estados Unidos 2012

14
15
Ilhabela-bonete 2012 500
Ilhabela-bonete 2012 502
Ilhabela-bonete 2012 505
Ilhabela-bonete 2012 506
Ilhabela-bonete 2012 507
Ilhabela-bonete 2012 508
Ilhabela-bonete 2012 510
Ilhabela-bonete 2012 511
Ilhabela-bonete 2012 515
IMG_0155
01/12 
start stop bwd fwd

 

O que pode acontecer em 12 meses?

A maioria dos jovens da minha idade pode falar sobre seu primeiro ano de faculdade, as amizades que fizeram ou perderam ou até falar sobre todas as experiências maravilhosas que tiveram durante um ano. Intercambistas podem dizer as mesmas coisas, mas a diferença principal é que temos experimentado tudo em uma cultura, totalmente nova, diferente de todos os nossos amigos em nossos países de origem.

Este intercâmbio me deu muitas oportunidades para expandir meus conhecimentos sobre o mundo e as pessoas ao meu redor. Aprender uma nova língua em outro país possibilita exatamente isso. É outra maneira de me relacionar com os outros, para conhecer a cultura em torno de mim, e para rir, chorar e amar, de um ponto de vista diferente. Há tanta vida e cultura dentro de línguas, e eu acredito que a aprendizagem de uma nova língua, nos dá a oportunidade de entender o ponto de vista das pessoas, não só do Brasil, mas também do mundo.

Antes de começar esse intercâmbio, o Brasil era apenas uma vaga lembrança de minha infância, mas agora eu considero o Brasil como uma parte da minha vida, meu futuro, para sempre. Vou sentir falta da bela cidade de Vinhedo, onde passei a maior parte do meu tempo. Mas isso não é um adeus.
Agora, eu não sei se eu deveria sair com um sorriso no meu rosto porque esse intercâmbio foi um dos melhores anos da minha vida, ou chorar porque chegou ao fim. Estou indo embora em três dias e a tristeza começou. Eu recentemente tive de dizer adeus para a maioria dos intercambistas que já passaram por essa jornada comigo. Eles são algumas das pessoas que eu amava e me importava este ano. Todas as minhas famílias realmente se tornaram uma parte da minha vida e deixá-los vai ser como deixar uma parte da minha própria família.

Eu realmente vou sentir falta deles, minhas mães, pais, meus conselheiros, minhas irmãs e meu irmão. Eu sinto como que os meus pais conhecessem toda a minha vida quando eu estava morando com cada família. Eles estavam lá para todas as minhas necessidades e também cuidaram de mim como um de seus próprios filhos. Meus imãos sempre estiveram comigo durante meus momentos difíceis e também fizeram a minha estadia em Vinhedo mais agradável. Tivemos este ano para conhecer um a outro e foi muito fácil, porque nós compartilhamos nossos gostos por música, filmes e atividades de lazer, como madrugadas comendo brigadeiro assistindo Avenida Brasil.

Eu vou sentir falta de fazer amizades aqui e dos primeiros momentos que nós nos conhecemos, através de um amigo em comum, na internet, na escola ou nos churrascos jogando briga de galo em uma piscina, aprendendo a dançar ou tentando jogar truco. Eu gostei de muitos momentos com cada um dos meus amigos, todos os nossos bons momentos, e mesmo quando nós passamos por momentos ruins. Essas memórias sempre estarão comigo.

Quando eu finalmente for embora, uma das coisas mais importantes que eu vou levar comigo são essas lembranças. Eu me lembro da felicidade que senti, deixando meu pai no aeroporto em Chicago para chegar aqui, com a umidade brasileira e pizza a meia-noite com as minhas famílias anfitriãs. Eu nunca vou esquecer os meus primeiros dias de escola ou a primeira vez que encontrei todos os intercambistas. Eu sempre vou me lembrar da tentativa de minha mãe em falar Português comigo: “portaria”. E minha família nunca vai parar de fazer brincadeiras do meu "nao". Nunca.

Mesmo estando triste, preparando-me para deixar meus amigos e famílias aqui no Brasil, estou me preparando com ansiedade para ver minha família nos Estados Unidos e estou pronta para começar meu futuro. Eu vou voltar este sábado e começar a faculdade na manhã de segunda-feira. Eu vou fazer um curso de Enfermagem em Valparaiso - Indiana, e também planejo fazer um curso de ensino de Inglês como segunda língua. Eu vou voltar para o Brasil. Eu pretendo visitar todas as minhas famílias e amigos durante as férias. O Brasil é a minha segunda casa e eu realmente acredito que ele poderia ser minha residência permanente no futuro. O mercado do Brasil está crescendo e as oportunidades para os estrangeiros estão se expandindo também, então não há desculpa para eu não voltar. Eu sou tão grata que existam tantas pessoas, meus amigos, família, incluindo companheiros rotarianos, aqui no Brasil que querem me ajudar com o meu futuro.

Prá mim, Rotary é uma família mundial e vocês Rotarianos aqui no Brasil me trataram como uma família. Vocês me ajudaram a realizar um dos meus sonhos. O Rotary de Campinas Norte não desistiu de mim, nem as minhas famílias hospedeiras durante minhas complicações em 2011. Vocês todos me deram a chance de fazer contatos, e para viver e aprender uma nova cultura e idioma. Eu sinceramente acredito que os rotarianos são um grupo de pessoas que doam seu tempo para fazer suas cidades e até do mundo, um lugar melhor. Rotary realmente me ajudou a amadurecer de uma forma que eu posso ajudar no crescimento de um mundo melhor, quando eu voltar para os Estados Unidos. Então, obrigado Rotary de Campinas Norte, minhas famílias, conselheiros, e amigos por me ajudar sair do Brasil com as melhores memórias, contatos, e voltando como a pessoa que sou hoje.

Eu espero que minhas despedidas essa semana não sejam minhas últimas palavras para todos os presentes hoje. Muitas casas foram abertas para mim durante este intercâmbio e eu e minha família realmente agradecemos vocês. Nossa casa estará sempre aberta a quem quiser nos visitar.