Rotary International e Banco Mundial celebram juntos o Dia Internacional da Mulher

 

women 2018 3Três mulheres do Rotary foram homenageadas em 7 de março de 2018 no Banco Mundial, em Washington, D.C., nos EUA, pela dedicação em mudar a vida de muitas pessoas por meio de projetos humanitários inovadores.

A celebração, organizada pela Associação de Funcionários do Banco Mundial e patrocinada pelo Rotary International junto com a firma Oppenheimer & Co., foi um dos muitos eventos realizados nesta semana que marca o Dia Internacional da Mulher, comemorado anualmente em 8 de março. Na ocasião, foram destacadas as mudanças positivas feitas pelas mulheres ao redor do mundo. Annette Dixon, vice-presidente do Banco Mundial para o Sul da Ásia, foi a moderadora do encontro.

Dirigindo-se a uma plateia de 300 pessoas, e a milhares de telespectadores que acompanharam a transmissão ao vivo pela internet, as rotarianas Dra. Geetha Jayaram, Marie-Irène Richmond Ahoua e Danielle De La Fuente falaram como seu trabalho contribuiu respectivamente para que mulheres de baixa renda da Índia tivessem acesso a tratamento mental, centenas de milhares de crianças fossem vacinadas na África Ocidental e crianças refugiadas pudessem ter uma vida melhor.

Jayaram, do Rotary Club de Howard West, nos EUA, ganhou o Prêmio a Alumni por Serviços Globais. Sua clínica psiquiátrica já tratou quase 2.000 mulheres carentes de 200 vilarejos do sul da Índia.
A clínica Maanasi, aberta por Jayaram, foi reconhecida pela Organização Mundial da Saúde por sua excelência. Além do atendimento psiquiátrico, a clínica atende pessoas com problemas de visão e audição, além de prestar serviços nas áreas de geriatria e terapia ocupacional. Desde 2002, o projeto beneficiou cerca de 6 milhões de lares.

"Eu nunca pensei que me sentiria tão grata a estas mulheres que não têm nada, nos recebem em seus lares de braços abertos e compartilham detalhes íntimos de suas vidas", diz Jayaran. "É muito gratificante."
Jayaram é professora-adjunta de psiquiatria e ciências comportamentais na Faculdade de Medicina da Universidade Johns Hopkins, em Maryland, nos EUA.

Marie-Irène Richmond-Ahoua, do Rotary Club de Abidjan-Bietry, na Costa do Marfim, foi presidente da Comissão Nacional Pólio Plus e atualmente coordena atividades de imunização no oeste da África. Ela é consultora internacional de comunicação e trabalhou como conselheira para uma operação da ONU em seu país.
Richmond Ahoua foi homenageada por Bill Gates na Convenção do Rotary de 2017, em Atlanta, por seu papel na erradicação da pólio e instauração da paz.

"Servir como voluntária me trouxe muita felicidade e algumas lágrimas. A experiência também me deu uma nova perspectiva do mundo", disse Richmond-Ahoua. "Precisamos acreditar no que estamos fazendo, independentemente dos desafios enfrentados, e confiar em nossa equipe. Assim, poderemos ver além de nós mesmos e alcançar mais progresso."
"Qual a maior recompensa deste trabalho? Ver o sorriso de uma mãe depois que seu filho é vacinado", conta ela.

Danielle De La Fuente, do Rotary Club de Coronado Binacional, nos EUA, é cofundadora da Amal Alliance. O grupo sem fins lucrativos ajuda crianças refugiadas por meio de iniciativas de desenvolvimento social e programas educativos.

De La Fuente conta que 65 milhões de pessoas foram deslocadas mundialmente, das quais 77% são crianças. "Imagine um mundo em que as crianças não têm sonhos", diz ela. "Esta é a realidade que eu me recusei a aceitar."
Ela trabalhou na Universidade de Defesa Nacional, em Washinton D.D., onde fomentou relações com o Oriente Médio e Sul da Ásia.

"Jamais precisamos tanto de pessoas compassivas como agora," diz De La Fuente. "Qual será nosso futuro se a próxima geração não puder sonhar? Eu peço a todos vocês que entrem em ação e façam a diferença - talvez ajudando a mudar a vida de uma criança refugiada."